Correndo após os 45…

Olá, gente! Quanto tempo!!! Fiquei adiando o momento de voltar a postar aqui, embora vá atualizando minha rotina lá no Instagram. Continuo correndo embora sem frequência definida e me mantenho por volta dos 4-5 km. Não voltei à musculação e lendo os posts antigos me dá até certa angústia de perceber que estou na mesma situação: querendo praticar mais vezes, perder barriga, etc… 

Porém hoje, o tema é corrida após os 45 anos… Completei 46 no último dia 7 (oh, vida!) e devo dizer que bastante coisa mudou desde meus primeiros passos na corrida, há uns 16 anos. A disposição, o metabolismo, o rendimento, a resistência. Tudo fica mais lento, mais penoso, e é preciso trabalhar a paciência e a determinação para não desistir.

Mas alguns aspectos  não mudaram: minha persistência e o bem estar pós treino. Quando saio para correr, vou correr. Posso começar com preguiça, com vontade de voltar pra casa durante o aquecimento, mas depois que dou as primeiras passadas, já era! Não volto, não diminuo o percurso (só em casos extremos), os problemas ficam para trás. Na pista, só há espaço para duas coisas: administrar a dor e manter o foco na chegada.

Dor? Claro! Não é porque estou habituada a correr que não sinta dores. Às vezes já estou cansada quando finalmente saio de casa. As pernas pesam, os braços doem. Outras vezes comi um pouco demais, o estômago incomoda, vem a azia.  Ou tomei pouca água, ou vesti a roupa errada, ou peguei vento contra… por aí vai. Mas o que importa é correr. Se eu tivesse essa mesma determinação em outras áreas da minha vida, com certeza estaria 100% melhor, até mesmo financeiramente. Na corrida, ninguém me tira o foco ou me desanima porque não estou ali para competir, para provar nada para ninguém.

Quanto ao foco, ele é muito necessário especialmente nos momentos de fadiga. A luta é contra sua mente, contra as peças que ela prega te dizendo que você não aguenta mais, que é melhor parar, que você não vai conseguir ou que hoje você podia correr um pouco menos… Quando chego nessa fase, costumo focar na respiração. Se estou sem fôlego, diminuo o ritmo das passadas e faço respirações marcadas: conto até 3 inspirando, depois mais 3 expirando. Até ficar menos ofegante.

Se for o caso de as pernas não aguentarem mais o esforço, procuro “sentir” qual a perna mais cansada e faço a impulsão com a outra. Também procuro mudar minha atenção para a paisagem, mover mais os braços, sentir a respiração… tirar o foco daquilo que incomoda e pode te travar pode ser de grande ajuda. Quando  dou por mim, já estou perto de casa!

E você, já passou dos 45? Como é sua corrida? O que mudou?

Deixo uma sugestão aqui para ampliar o tema (especialmente pelos comentários) e espero que você não desista só porque já percorreu quase metade do seu caminho nesta vida!

Nos vemos por aí!

Correndo com dor…

Bem, finalmente consegui voltar a postar. Deveria estar agora na 5ª semana da planilha de 5km que me propus a seguir, mas… uma dor quase insuportável nos joelhos me imobilizou desde sexta-feira passada (13/03/15).

Com a viseira da Blueman, que ganhei no presskit da L'Oreal, junto com o novo protetor solar Anthelios. Ótima para conter o suor que escorre para os olhos!

Com a viseira da Blueman, que ganhei no presskit da L’Oreal, junto com o novo protetor solar Anthelios. Ótima para conter o suor que escorre para os olhos!

Essa dor me incomoda há alguns meses, antes mesmo de eu retornar às corridas, desde que resolvi reformar minha bike e comprar uma cadeirinha de bebê para passear com meu filho. Cada vez que pedalava, sentia uma dor incômoda nos joelhos, precisava fazer uma força enorme para pedalar, mas como fazia trajetos curtos, continuei mesmo assim.

Com os treinos, a dor incomodou mais, especialmente nas caminhadas (depois de uns 15min de exercícios eu corria já quase sem nenhuma dor). Então, resolvi visitar o mesmo ortopedista que me atendeu há quase 5 anos, quando meu tendão do pé esquerdo inflamou (veja post aqui).

Raios X e ultrassom não mostraram nada, mas descobri que meu quadril direito (onde eu tinha uma pequena calcificação) está levemente inflamado (e incrivelmente é o que menos me dói, a não ser quando caminho demais ou faço movimentos de giro). Saí ontem do consultório com alguns anti-inflamatórios na bolsa e fiz uma sessão de Ondas de Choque, alguém já ouviu falar? Segundo o ortopedista, é a única coisa que pode resolver minha dor… Acho que durou um ou dois minutos mas doeu pra caramba e saí andando toda capenga depois da consulta. Ele me alertou que a dor pode piorar um pouco antes de melhorar, então só vou tomar o anti-inflamatório se começar a doer demais (pois ainda amamento!!! :O).

O médico radiologista me recomendou voltar a fazer musculação, já que a corrida costuma “queimar” mais massa magra do que gordura (tempo e $$ de onde???) . Acho que já devo ter perdido pelo menos um quilo!!!

Hoje me senti ótima, nem o joelho está doendo tanto! Mas descansarei mais alguns dias antes de retornar aos treinos. Bom, na próxima semana dou notícias sobre isso… Bye!

Aos trancos e barrancos…

Após seguir bem certinho a planilha nos cinco primeiros dias, falhei no sexto e sétimo, não fui treinar por total falta de tempo, mesmo! Em obras aqui em casa, tive que levar o filho mais cedo pra escolinha, dar conta de almoço e janta, mercado e ainda limpar a sujeirada dentro de casa depois que o pedreiro ia embora. Fiquei quebrada, aaafff…

Mesmo assim, na última sexta (20/02/15), depois de esfregar a casa aqui e ali, saí para treinar. E fiquei contente por completar 13′ (na planilha eram 12’…) ininterruptos de corrida. \o/

Deveria ter descansado depois desse dia, mas aproveitei o sábado e já iniciei a segunda semana de atividades. Confesso que fiquei bem cansada, mas realizei o planejado. Hoje, no entanto, em vez dos 45′ de caminhada, fiquei em casa antecipando o descanso de amanhã. Se não chover, amanhã faço essa tarefa.

Assim, vou voltando aos poucos e sem muito stress.

Sexta 13, carnaval, volta às ruas

Em plena sexta de carnaval, 13/02/2015, deixei tudo que tinha pra fazer em casa e voltei a correr. Sim, quase 3 anos depois, meu filho com 2 anos e 1 mês, resolvi encarar uma planilha de 5km para iniciantes (essa aqui) e estrear o tênis que ganhei de presente de Natal: um Asics Gel Pulse 6 que compramos em promoção muito boa na Decathlon Floripa.

Asics Gel Pulse 6, acervo pessoal

Asics Gel Pulse 6, acervo pessoal

O tênis é ótimo, pelo menos para percursos curtos, mas acho que aguentará bem os treinos de 5km, talvez até mais. Eu amo Asics, para mim é a melhor marca, mas é assunto para outra postagem.

No começo, achei a planilha fácil demais, mas depois do 3º tiro (de 2’caminhada + 2′ corrida, no total eram 6 tiros), juro que queria desistir. Jesus, como é que eu corria 10km e nem ficava cansada??? Minhas pernas pesavam toneladas, senti muito calor e escolhi um short errado* que ficou subindo no meio das pernas e me atrapalhando o tempo todo. Também tirei o boné antes do final do treino, porque minha cabeça esquenta demais (usei porque pensei que ia pegar chuva), mas fiquei feliz, cumpri tudo direitinho!

shortdomyos

Short Domyos, acervo pessoal

Ontem, sábado, fiz 40′ de caminhada (2º dia da planilha) e mais uma vez escolhi uma camiseta errada, de poliamida, e ainda usei outra larga por cima pois estava chovendo. A chuva parou, veio o mormaço e esquentou pra caramba, mas deu tudo certo. E hoje foi dia de descanso.

Suando, suando e suando... pós treino, 1º dia

Suando, suando e suando… pós treino, 1º dia

Eu tinha esquecido do quanto eu suo, fiquei uns 15min suando depois do treino do primeiro dia e também após o banho. Fiz uns 10min de alongamento. Estou com bastante dor nas canelas e um pouco de dor na parte anterior das coxas, normal. Talvez eu devesse ter feito uma semana de caminhadas antes, mas não tenho paciência para andar. Sou muito ansiosa e parece que não saio do lugar, kkkk Pelo menos não saí correndo direto no primeiro dia (sim, já fiz isso antes).

Meta: perder barriga!

Meta: perder barriga!

Amanhã é dia de repetir o esquema de sexta, o que significa voltar a correr!!! Ebaaa! Quero acabar com essa barriga, perder 3 kg e melhorar minha alimentação. Não sei se conseguirei cumprir toda a planilha, mas vou tentar, de verdade, pois correr é bom demais!!!!!!!!!!!!!!! See you!

*Nas fotos, estou usando: top e camiseta Dits, short de malha Domyos, meias Kalenji Run Feel, relógio Speedo e tênis Asics.

Primeiro açaí cremoso em caixinha

O primeiro açaí cremoso em tetra pak, sem adição de água

Está chegando ao mercado o Amazoo, primeiro açaí cremoso em embalagens tetrapak de 1 litro e 250ml, nas versões tradicional, batido com banana e batido com morango, sem adição de água. O produto é da Globalbev e usa como matéria-prima o açaí orgânico, com o mesmo teor de polpa do açaí da tigela.

Por ser uma fruta rica em aminoácidos, minerais e carboidratos, ela ajuda a combater o envelhecimento precoce (o açaí é antioxidante e usado até em cosméticos) e fortalece o sistema cardiovascular. Ele possui baixo índice glicêmico e não é mais calórico do que outras frutas que consumimos diariamente, como a banana. Cada porção de 100g de açaí contém 110 calorias.

O lançamento tem foco em um público crescente, formado por consumidores preocupados com saúde e bem estar e que buscam alimentação saudável. Como estratégia de marketing e posicionamento de marca, a empresa pretende investir em eventos esportivos e ações que promovam bem estar e saúde.

Valor sugerido: R$ 12 (1 litro).
Contatos: contatomkt@globalbev.com.br ou 0800 0313575.

EM TEMPO – Os produtos da linha Amazoo são pasteurizados, eliminando o risco de contaminação, e fabricados na unidade Global Bony, na região metropolitana de Belém (PA), adquirida pela Globalbev em 2010. A empresa investiu R$ 20 milhões para adequação da estrutura de produção e tecnologia e possui 8 centrais de distribuição que atendem supermercados, lojas de conveniência, padarias e bares, chegando a 70 mil pontos de venda em todo o Brasil. A fábrica possui certificados que atestam a qualidade do produto: USDA Organic (United States Department of Agriculture), Farm Organic, HACCP (Hazard Analysis Critical Control Points) e Kosher. A Globalbev é proprietária de marcas consagradas, como o isotônico Marathon e o energético Flying Horse.

Com informações da Index – Estratégias de Comunicação.

Complexo Protéico para Mulheres

Complexo protéico para ajudar mulheres esportistas a aumentar a massa magra, da Sanavita

A Sanavita, indústria especializada em alimentação saudável e funcional há quase 30 anos, acaba de lançar o primeiro produto de nutrição esportiva especialmente para mulheres, o Balance Protein, um complexo protéico desenvolvido para aumentar a performance na prática de exercícios e substituir massa gorda por massa magra.

Segundo a empresa, ele é diferente dos suplementos comuns disponíveis no mercado por conter um exclusivo complexo de proteínas de alto valor biológico e também porque pode ser utilizado por pessoas que possuem alimentação desequilibrada e com restrição protéica.  De acordo com a nutricionista responsável pelo Centro de Pesquisa Sanavita, Andrea Dario Frias, o objetivo desse complemento é oferecer proteínas de alta absorção para maximizar os resultados de quem pratica exercícios físicos regularmente.

Disponível no sabor baunilha, o Balance Protein contém aminoácidos essenciais e alto teor de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAAs), que atuam como importante fonte energética para o músculo, além de melhorar a performance física e mental. Possui isolado protéico de soja, rico em proteínas e isoflavonas que funcionam como um nutricomplexo com ações anabólica (crescimento muscular), antioxidante e reguladora da função hormonal (alivia problemas relacionados à TPM e menopausa). Além disso, conta também com Osteomix, um complexo de cálcio e vitamina D que atende 50% das necessidades diárias das mulheres em apenas uma porção.

Além da versão feminina, a empresa também fabrica uma formulação direcionada para homens e atletas: com creatina, que favorece a retenção de nitrogênio permitindo um ambiente anabólico ideal para o crescimento muscular; proteína hidrolisada de soro de leite; e o Mix Antiox, um complexo antioxidante com vitamina C, selênio e zinco.

Ambas as versões possuem baixas calorias, não contêm gordura, glúten nem lactose e devem ser consumidas 30 minutos depois da prática de atividades físicas.

Já fiquei curiosa para testar e ver se ajudaria a reverter os efeitos da fadiga muscular pós-exercício mais rapidamente e a acelerar os resultados da musculação… mas prefiro consultar minha nutricionista antes. De qualquer forma, fica a dica para quem está procurando um produto com essas funções, mas ainda assim eu recomendaria a opinião de um profissional da nutrição antes da compra, porque cada corpo  tem suas necessidades específicas, né?

Modo de preparo do Complexo Protéico para Mulheres: adicionar 30g (1 medidor e ½) a 200ml de leite desnatado, água ou bebida de sua preferência e tomar após a prática de exercícios físicos. Calorias: 108 calorias por porção (30g). Preço sugerido: R$ 56.

Modo de preparo do Complexo Protéico para Atletas: adicionar 40g (2 medidas) a 250ml de leite desnatado, água ou bebida de preferência. Tomar após a prática de exercícios físicos. Calorias: 149 calorias por porção (40g). Preço sugerido: R$ 56.

Mais informações pelo SAC: 0800 055 4414 ou no site www.sanavita.com.br.

Com informações da Máxima Assessoria de Imprensa

O jeito certo de correr

Depois da triste notícia divulgada pela mídia mundial sobre a morte do recordista olímpico da maratona, Samuel Wanjiru, de 24 anos, na noite desta segunda-feira, 15 de maio, no Quênia, recebi uma bela dica de leitura, que repasso aos corredores.

Trata-se de uma série de entrevistas feitas pelo jornalista da FolhaRodolfo Lucena, 53,   ultramaratonista e autor do livro +Corrida, com cinco especialistas, que deram dicas importantes sobre a melhor forma de correr para diminuir riscos de lesões e obter melhor desempenho.

Eu adorei, e passo o link para quem se interessar também:
O jeito certo de correr – parte 1 – com ALEXANDRE BLASS;
O jeito certo de correr – parte 2 – com o treinador MARCOS PAULO REIS;
O jeito certo de correr – parte 3 – com MARIO SERGIO ANDRADE SILVA;
O jeito certo de correr – parte 4 – com o ultramaratonista VALMIR NUNES;
O jeito certo de correr – parte 5 – com o professor de Educação Física VITOR TESSUTTI.

Boa leitura e boas corridas!